CPI do Guincho vai pedir explicação ao Detran sobre cobrança indevida de motoqueiro francisquense

1042
Enivaldo dos Anjos, o deputado que combate as coisas erradas no Estado
Enivaldo dos Anjos, o deputado que combate as coisas erradas no Estado

Divino Ramos da Silva é um morador de Barra de São Francisco, proprietário de uma motocicleta JTA/Suzuki Intruder 125, que adquiriu em 18 de fevereiro de 2013. O veículo nunca saiu de suas mãos um único dia, mas ao puxar o prontuário para pagar o licenciamento de 2015, no dia 23 de junho de 2015, Divino quase caiu de costas: descobriu que sua moto havia sido “rebocada e levada a um pátio” e devia, somente de estadia, R$ 4.460,59, mais R$ 16,12 de quilometragem percorrida e R$ 53,74 de rebocagem.

Este é mais um dos casos enigmáticos na nebulosa relação do Detran do Espírito Santo com as empresas de guincho e pátios de estacionamento, cuja concessão a CPI do Guincho, presidida pelo deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), quer sustar através de um Decreto Legislativo, cujo projeto entra com pedido de urgência nesta terça-feira (7) no plenário da Assembleia Legislativa.

Agora, o mais espantoso, e que certamente será tema de questionamento ao diretor-geral do Detran, Fabiano Contaratto, que será ouvido, novamente, na próxima segunda-feira (13) pelos deputados, é que a denúncia chegou ao gabinete do deputado Enivaldo dos Anjos no dia 24 de junho. Dois dias depois, o parlamentar protocolou um pedido de explicações no Detran.

O proprietário entrou novamente no sistema nesta segunda-feira(6) e lá estava o DUA/Detran atualizado em R$ 145,10. “Quantos casos mais iguais a esses existem no Estado? Será que esse sistema é confiável? E se o proprietário ficasse com medo e não reclamasse? Existe algo de muito obscuro nesse sistema envolvendo o Detran e as empresas de guincho do Estado”, disse o deputado Enivaldo dos Anjos, “pintado para a guerra” contra o “esquema dos guinchos”.

111 112 113