CPI do Guincho: pedida investigação de soldado da PM e quebra de sigilo de agentes de trânsito

873

DSC02714Duas medidas foram oficializadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito instituída na Assembleia Legislativa para apurar denúncias relacionadas à “Máfia dos Guinchos” e “Pátio/Estacionamento/Depósito” de veículos apreendidos e possível conluio entre autoridades e prestadores de serviço, lesando a cidadania: um pedido de apuração de conduta pela Corregedoria da Polícia Militar e outro de quebra de sigilo fiscal à Receita Federal.

Ao delegado da Receita Federal, Luiz Antonio Bosser, foi pedido a quebra do sigilo fiscal dos agentes municipais de trânsito Alessandro Victor rodrigues, Flávio Escobar Furtado, Bruno Bertollo Ribeiro, Wilmes Nascimento Pereira Júnior e Hudson Henrique Silva, campeões de autos de remoção de veículos e acionamento do serviço de guincho em Vitória. Eles terão quebrados também os sigilos telefônico e bancário.

A outra ação da CPI do Guincho foi enviar ao comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcos Antônio Souza do Nascimento, de pedido para que a Corregedoria da corporação investigue a conduta do policial Vinicius Rocha Januário, tendo em vista denúncias feitas em depoimentos prestados perante a Comissão por dois cidadãos deve a ocorrências distintas, mas ambas envolvendo o mesmo agente público, que atua na Patrulha Comunitária de Serra-Sede.

Junto com o requerimento, a CPI do Guincho mandou a transcrição e os CDs contendo cópias de depoimento em áudio de Nélison Miranda dos Santos e Jhon Ferreira, bem como as cópias taquigráficas dos depoimentos de Nélison e do policial à CPI, bem como documentos apresentados pelo cidadão à CPI.