Covid: equipe de vacinação ganha o reforço de 10 técnicas de enfermagem

264

As profissionais foram treinadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Segundo secretário, o objetivo é fazer a prevenção enquanto mais vacinas não chegam.

As técnicas de Enfermagem foram contratadas por processo seletivo e participaram do treinamento com a equipe da Sesa municipal

Dez técnicas de Enfermagem, contratadas por meio de processo seletivo, com análise de currículo e entrevista, participaram nesta segunda-feira (25) de um treinamento de capacitação na Secretaria Municipal de Saúde e, a partir desta terça-feira (26), já estarão nas ruas fazendo trabalho preventivo contra a Covid em Barra de São Francisco, percorrendo o comércio, as feiras e pontos de concentração de pessoas para dar informação correta.

O treinamento foi aplicado pela sub-secretária de Saúde, enfermeira Carol Possati, e pela chefe de atenção primária à saúde, Fernanda Rizzo. De acordo com o secretário Gustavo Lacerda, assim que chegarem novos lotes de vacina contra o coronavirus, essas técnicas de enfermagem vão reforçar a equipe de imunização para acelerar o alcance da população-alvo.

“Ainda não temos previsão de vacinar a população. Nesta terça-feira deveremos encerrar o primeiro lote de Coronavac, mas ainda tem muita gente da saúde para ser imunizada. Estamos aguardando a segunda remessa de vacinas para cumprir esse cronograma. No hospital, vacinamos pouco mais de cem funcionários da linha de frente, mas lá temos mais de 500  servidores. Pouca gente da secretaria municipal também foi imunizada e ninguém da saúde privada. Então, há muito o que fazer”, disse Gustavo.

O secretário informou ainda não saber quando chegam as vacinas de Oxford que o governo do Estado recebeu no último final de semana. Ele esclareceu que quem toma a primeira dose de Coronavac vai tomar a segunda da mesma vacina: “Quando chegarem as vacinas de Oxford, as duas doses têm que ser da mesma marca, de acordo com o intervalo de dias indicado pelo fabricante”.

POPULAÇÃO

O governador Renato Casagrande concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira (25) à imprensa da capital quando previu que a vacinação chegará a toda a população a partir de março. “Acredito que a partir de março, teremos essa possibilidade à medida que os laboratórios estiverem produzindo mais”, disse.

A declaração foi dada durante a aplicação da vacina AstraZeneca/Oxford em 26 agentes comunitários de Saúde de Cariacica, na unidade de saúde de referência do bairro São Francisco. A cidade se tornou o primeiro município do Espírito Santo a vacinar com o imunizante, vindo da Índia, e enviado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e que chegou na tarde de domingo (24) ao Estado. Foram 34.500 doses ao todo.

Casagrande frisou que, devido à pouca quantidade, o público-alvo é bem restrito. “Temos a alegria de constatar que a vacinação começou. Infelizmente, ainda em quantidade pequena. Recebemos 101 mil doses do Butantan, o que dá para vacinar 50 mil pessoas. Com as que recebemos da AstraZeneca, iremos vacinar especialmente os profissionais da Saúde e aplicar a segunda dose até três meses depois quando a Fiocruz nos encaminhar o quantitativo para a segunda aplicação”, contabilizou.

O governador está em constante diálogo com o Ministério da Saúde para que inclua, nas próximas remessas, idosos acima de 80 anos que não estejam em casas de repouso ou em asilos: “Eu tenho defendido junto ao ministério que a gente consiga incluir esse grupo, que é de risco para Covid, com as doses que virão do Butantan”.

Em relação ao restante da população, Casagrande, mais uma vez, destacou que irá depender da capacidade de produção dos laboratórios. Ele garante que o Governo do Estado irá continuar as negociações com todos os fabricantes.

“Se encontrarmos fornecedores de vacinas seguras, com certeza, iremos fazer a compra para a gente poder adiantar o processo de aplicação em toda a população capixaba”, explicou.

Ele finalizou lembrando que, enquanto este momento não chega, todos não devem se esquecer dos cuidados básicos de prevenção ao covid-19.

“Não é o momento de a população procurar as unidades de saúde ainda. Não temos vacina para todos e falta muito para criarmos uma imunidade considerável no Estado. Estamos começando a etapa de vacinação e irá durar o ano todo, provavelmente. Então é ideal que continuemos a nos cuidar”, acrescentou, citando uso de máscara, distanciamento social e uso de álcool em gel.

(Com informações do site Folha Vitória)