Copa Rural de Barra de São Francisco: “Quem manda sou eu”, diz prefeito

870

000000Aconteceu nesta segunda-feira, 13 de junho de 2016, nas dependências da Secretaria Municipal de Esporte, Turismo e Lazer, o sorteio dos jogos da Copa Rural de Futebol de Campo 2016.

Este ano, por decisão do prefeito Luciano Pereirinha (DEM), disputará o título do campeonato apenas 16 equipes, o que gerou grande polêmica, pois a decisão deixou várias equipes tradicionais fora da competição. Algumas pessoas entenderam que a decisão foi “política”. “Quem manda sou eu”, disse o prefeito.

Os clubes que foram vetados pelo prefeito e não poderão disputar a competição, são: Vale 7,  Carambola, Ponte Alta e Paulista, estão fora da Copa Rural 2016, por simples “vontade” dos organizadores, e, principalmente, do prefeito.

Vale 7 ficará de fora da Copa Rural por “perseguição política”

No caso do Vale 7, são 56 anos de história, participando de campeonatos municipais e regionais, levando alegria a sua torcida, que se sempre marca presença para ver a equipe jogar.

O futebol em Barra de São Francisco sempre foi uma das principais diversões dos fins de semana. São muitos atletas, que se alegram e levam alegria, pois onde tem uma equipe, sua torcida fiel sempre está junta, comemorando vitórias, sofrendo com as derrotas, comentando os lances e acontecimentos. As partidas amistosas no domingo já fazem parte da cultura local.

Esse ano de 2016 uma atitude mudou a cara do esporte na cidade. Depois de discordar de algumas imposições da organização da Copa Rural 2016, o time do Vale 7, e outros times, foram deixados de fora da competição. Segundo algumas pessoas ligadas à equipe, tudo caminha para o lado político, o que para o esporte local, é uma vergonha.

“Pelo que sei, o Vale 7 e mais outras dez equipes, discordaram de algumas coisas que foram impostas, pois achavam que algumas decisões deveriam ser votadas pelos dirigentes das equipes, pois afetam diretamente cada uma das equipes. A organização prometeu votar, mas de última hora chegou com a decisão já tomada e impôs do seu jeito. Alguns não concordaram, pois queriam votação“, disse um atleta.

Logo após a reunião, a organização, com objetivo de deixar de fora algumas equipes que se manifestaram contra as imposições, tomou outra decisão, que o campeonato desse ano só teria 16 equipes. Dessa maneira, a organização, seguindo decisão do prefeito Luciano, limitou o número de participantes, deixando de fora outros times.

Alguns nem se importaram, mas a torcida do Vale 7 não gostou da decisão. Outras equipes que se manifestaram contra a decisão da organização foram aceitas na competição, como Poranga, São João, Itaperuna e Passabem. Porém, Carambola, Paulista, Ponte Alta e Vale 7, foram ignorados e excluídos.

Como não existe na câmara municipal lei específica que cria o evento Copa Rural em Barra de São Francisco, a competição tem apenas um regulamento. Nesse regulamento, válido para 2016, não existe a limitação de número de equipes.

Na reunião com dirigentes, foram distribuídas cerca de 20 fichas, mas nada foi divulgado com relação a apenas 16 equipes participarem. “A decisão é política. Já entendemos, é uma perseguição política, por alguns no time ter voto declarado contra ele.

Isso nunca aconteceu, é a primeira vez que vejo essa vergonha. Poderíamos entrar na justiça, pois temos o regulamento em mão e lá não diz que só 16 equipes participam. Tem muito mais coisa errada, mas o melhor é ficar quieto e assistir a tudo isso, não vale a pena brigar.

“Se em um simples campeonato tem perseguição, se a gente entrar na justiça eles vão nos perseguir pelo resto da vida“, disse uma pessoa ligada à equipe.

Segundo um dos atletas, estão inscritas 17 equipes e a organização ainda vai eliminar outra. Entre as equipes participantes, duas são convidadas, de Água Doce do Norte. Existe agora a possibilidade dessas duas equipes se juntarem, deixando o campeonato com 16.