Construção da Barragem para a Captação de Água em Mantena será decidida na Justiça

2856

Impasse na construção de uma nova barragem que será construída na localidade do Córrego Frio, interior de Mantena, vai ser decidido na justiça do município.

Uma grande movimentação aconteceu no local onde será construída a barragem, pois de acordo com o diretor do Saae, Paulo Abílio, o local de passagem estaria fechado, como também desfeito todo o trabalho realizado pelo Saae.

A direção da instituição acionou a Polícia Militar e fez um boletim de ocorrência policial alegando que os funcionários estariam impedidos de entrar para trabalhar e que a instituição tem direitos para a execução da obra.

Na sexta-feira, 25/08/2017, o diretor do Saae e o engenheiro Gutemberg, estiveram no Córrego Frio averiguando o trabalho já realizado pelos funcionários durante a semana, onde estariam dando seguimento na segunda.

O advogado do Saae, Túlio Emerick explicou que a referida área pertence ao Saae e que foi desapropriada desde 2002 e disse que tem todos os documentos necessários para a construção da obra, bem como há anos é captado a água.

Túlio disse que irá levar ao conhecimento do juiz para conseguir uma Liminar para que o Saae possa continuar o trabalho e de acordo com ele o prejuízo tem sido grande.

“Nós estivemos com o Marcos em sua residência, que nos recebeu muito bem e nos explicou sua versão dos fatos”.

De acordo com ele, não existe nenhum motivo para trazer malefícios para os moradores de Mantena, pelo contrário, que há anos o cano do Saae capta água de sua terra.

Perguntado sobre o motivo do fechamento da passagem e da retirada dos canos, Marcos afirmou que foi ele mesmo que fechou e retirou, pois de acordo com ele, o SAAE não tinha autorização para realizar o serviço e que tudo já está na justiça. Que ele tem os documentos para provar que é dono da terra, e que ele quer que a justiça seja feita, pois comprou com muito suor e trabalho aquela terra.

De acordo com os fatos, o SAAE alega que a água é um bem precioso e que a construção da barragem é de suma importância para os moradores e que tem documento alegando que comprou parte do local onde será construída a barragem. Pelo outro lado, Marcos diz que a instituição pode pagar o direito do royalties da água, ou comprar a parte onde o Saae quer construir e que eles provem com documentos e registro em cartório serem donos dessa área, alegou.

Os documentos foram apresentados no Fórum por ambas as partes e irão aguardar a decisão da Justiça para a construção ou não dessa barragem.

Por: Fabiana Hipólito