Cleverland fala sobre suas experiências e prejuízos com as enchentes em Barra de São Francisco

430

45Contador, advogado e predestinado a enfrentar contas e causas, Cleveland Nicácio de Souza é também um veterano francisquense no enfrentamento de enchentes.

Já no final da década de 70, quando seu escritório John Kennedy era ali na Desembargador Danton Bastos próximo da sede da Prefeitura Municipal, ele enfrentou uma enchente que chegou até seu local de trabalho e lhe causou grande prejuízo.

Hoje, o escritório funciona na Deolindo Dasilio, que fica mais próximo do rio Itaúnas e consequentemente mais uma enchente, no final de 2013 e inicio de 2014, foi lhe visitar deixando muito apreensivo e com inúmeros prejuízos.

Boa praça e muito falante, Cleveland leva tudo na brincadeira e diz que as águas que invadiram seu escritório, na verdade foi “praga de vascaino”. Ele diz isso, mas brinca que não pode publicar isso, porque tem grandes amigos e clientes que torcem pra equipe de São Januário.

Mas brincadeiras à parte, Cleveland direciona a conversa para um lado sério. Diz que a consequência das enchentes é a falta de planejamento e de investimentos. “Não é possível que depois de tantas enchentes, não tenha surgido um projeto para melhorar o escoamento das águas das chuvas”.

“O então prefeito Machado começou um trabalho aqui na Beira Rio, mas depois dele nenhum prefeito quis dar continuidade a obra”, completou. (a primeira foto abaixo, mostra a rua e o escritório de contabilidade que sofreu com a primeira enchente. Nas outras, flagrantes das enchentes mais recentes.

Continuidade a obra”, completou. (a primeira foto abaixo, mostra a rua e o escritório de contabilidade que sofreu com a primeira enchente. Nas outras, flagrantes das enchentes mais recentes.)

Reportagem: Carlos Madureira

10904697_791674797552963_1883184203_n-300x210

DSC_0152

10937854_791680207552422_1149977211_n

10937814_791680190885757_81169_n