Capital do granito na rota de voos da Azul Conecta, quer prefeito

1163

Na onda do manifestado interesse da Azul Linhas Aéreas por operar voos comerciais de Linhares e de São Mateus para Belo Horizonte, com conexões aos maiores aeroportos do País, o prefeito Enivaldo dos Anjos (PSD) oficiou ao presidente da companhia aérea, John Rodgerson, e ao vice-presidente técnico-operacional Flávio Costa pedindo que a cidade de Barra de São Francisco seja incluída na rota dos voos da empresa.

O chefe do Executivo da cidade do Noroeste do Estado, desde 2012 declarada por lei a Capital Estadual do Granito, indicou o terminal aéreo privado da Mineração Toledo, na divisa entre o Espírito Santo e Minas Gerais, como a pista a ser utilizada para a escala dos voos da Azul Linhas Aéreas.

“A pista é homologada e o modelo que a companhia aérea anunciou que utilizará para os voos podem, perfeitamente, pousar no aeródromo da Toledo, que só precisa de adaptações no terminal de passageiros”, disse o prefeito.

Na correspondência aos executivos da aérea o prefeito enumerou uma série de dados para justificar o pleito, especialmente o fato de Barra de São Francisco ser o maior produtor de granito do Brasil e ser cidade-polo de uma reunião com aproximadamente 300 mil habitantes, considerados municípios capixabas da região Noroeste do Leste de Minas Gerais.

“O Espírito Santo produz 82% das rochas brasileiras, sendo que 59% das extrações de blocos e 45% das chapas de granito beneficiados saem de Barra de São Francisco, que responde por 57% das exportações capixabas. Isso faz de nosso município um polo de circulação de empresários o tempo inteiro. Concentramos 70% das indústrias de granito de uma região produtora de 15 municípios do Noroeste e temos o maior parque industrial por metro quadrado do setor de rochas do mundo, com tecnologia de última geração”, disse Enivaldo.

O prefeito salientou também a grande circulação de dinheiro e investimentos no município, lembrando que nos últimos oito anos foram investidos 600 milhões de dólares no parque industrial local, sendo que 90% são recursos próprios das empresas. “Estamos nos preparando para duplicar nosso polo industrial e aumentar a participação no produto semiacabado, em forma de chapas, o que agrega valor e gera mais renda e empregos no município”, acentuou.

Enivaldo dos Anjos convidou os executivos da Azul Linhas Aéreas para visitarem a cidade e conhecerem não apenas a pista de pouso disponibilizada, mas também o contexto econômico por ele mencionado.

Nesta sexta-feira (5), Barra de São Francisco vai sediar um grande encontro de lideranças políticas e empresariais para discutir a criação de um corredor logístico a ser formado pela duplicação da BR 381, entre São Mateus e Governador Valadares, pelo Centro Portuário de São Mateus, a ser construído pela Petrocity Portos, e pela Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo, que vai ligar o porto a Sete Lagoas (MG).

INTERESSE

Nas últimas semanas, a Azul Linhas Aéreas confirmou o interesse em operar voos regionais nos aeroportos de Linhares, que está em ampliação, e de São Mateus, que, inclusive, teve suas instalações vistoriadas por oficiais técnicos da Força Aérea Brasileira, que passaram 17 dias na cidade mapeando o terminal.

Desde 2019, a empresa tem falado do interesse de implantar voo de porte médio de Linhares para Belo Horizonte. No início deste mês, a empresa falou também do interesse por São Mateus, que está se projetando para se transformar num polo industrial e logístico com forte impacto sobre o Norte e Noroeste do Espírito Santo, Sul de Minas, Vale do Aço e Leste de Minas.

O equipamento a ser utilizado pela empresa na operação de Linhares é um turboélice ATR 72-600, com capacidade para até 72 passageiros. Em São Mateus, a ideia é operar com voo da Azul Conecta, para nove passageiros. Em princípio, este seria o equipamento que poderia pousar em Barra de São Francisco.