Candidato a prefeito e vice de Barra de São Francisco irá responder sobre distribuição de panfletos na “calada” da noite

704

03O candidato a prefeito de Barra de São Francisco, Luciano Pereira, o Pereirinha (DEM), pelo visto vai se afundando cada dia mais na justiça eleitoral. A oitava representação contra ele, e seu vice, já foi protocolada junto ao Cartório Eleitoral. O referido candidato pelo visto tem “atropelado” as leis exigidas em vigor.

De acordo com mais esta representação eleitoral, o candidato Luciano e seu vice Matheus vem, já há vários dias, contando inverdades sobre o candidato da Coligação Representante em redes sociais etc, por ser o candidato filiado ao PT (Partido dos Trabalhadores), mas até o momento a Coligação tem feito ouvidos moucos para evitar conflitos e mais demandas para o judiciário já tão sacrificado.

Ocorre conforme a denúncia, que é useiro e vezeiro na molecagem, e no descumprimento às leis, dessa vez extrapolou, ao DISTRIBUIR, de forma irregular, um panfleto em forma de carta à população no apagar das luzes da propaganda eleitoral, denegrindo a imagem da Coligação e, principalmente do candidato ALENCAR MARIM, só pelo fato de ele ser filiado ao PT.

O que resta escrito no panfleto criminoso possui evidente índole injuriosa, difamatória e caluniosa, consoante se infere da prova em anexo (cópia do panfleto), que por si só revelam sua índole em denegrir a imagem, a honra, a dignidade e a reputação do candidato da Representante em tela.

Nesse panfleto criminoso juntado, podem-se ler todas as falácias que MANCHAM a honra do candidato da Coligação Representante. Este, professor, trabalhador, que goza – perante a sociedade – de alto conceito por quem o conhece. Não pode ter seu nome vilipendiado por aqueles que só visam a obter vantagem eleitoral!

Por abalar a honra, a boa-fé subjetiva ou a dignidade das pessoas. Em decorrência da prática desses crimes, surge para o agressor o dever de indenizar a vítima pelo dano moralmente sofrido.

A denúncia pede a concessão de medida liminar para a suspensão imediata da distribuição dos panfletos que denigrem imagem do o candidato da Coligação Representante;

A determinação de BUSCA E APREENSÃO dos panfletos no comitê eleitoral do Representado, na gráfica onde ele foi impresso ou em, quaisquer outros locais indicados pelo representado e seus seguidores;

A condenação na indenização por danos morais em valor não inferior a R$ 200.000,00 (duzentos mil reais).