Candidato a prefeito de Água Doce do Norte é denunciado por possível crime eleitoral

2765
Paulo Márcio, candidato a prefeito de Água Doce do Norte
Paulo Márcio, candidato a prefeito de Água Doce do Norte

A Coligação Partidária para Água Doce do Norte Voltar a Crescer, através de seu representante legal, Adão Constantino da Silva, ingressou na justiça eleitoral através de seus advogados Leonardo Lopes Pimenta e Carlos Roberto Sigesmundo Junior, com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral em Água Doce do Norte contra o candidato a prefeito Paulo Márcio (DEM), seu vice, Jacy Rodrigues da Silva (PEN).

A Ação é sobre possível abuso de poder econômico na prática de crime eleitoral, ocorrido no dia 11/09/2016, por volta das 13h30min, conforme Boletim de Ocorrência Policial (B.0) confeccionado pela policia militar e a Ação proposta na Justiça Eleitoral.

De acordo com o B.O, o candidato Paulo Márcio possivelmente estaria cometendo crimes eleitorais por meio de abastecimentos com vales, transportes com vans de passageiros escolares e uso de um mini trio de sonorização, descumprindo a resolução de nº23.463/15/12/2015, da justiça eleitoral.

De acordo com a informação do coordenador de campanha de Paulo Márcio, cerca de 200 veículos fizeram o abastecimento no posto de gasolina Amigos do Norte. Após solicitar que o som do Trio Elétrico fosse desligado, policiais foram vaiados por correligionários do 25, numa tentativa de menosprezar o trabalho dos PMS, que estavam cumprindo ordens da justiça eleitoral.

Conforme Ação ainda, no dia 11 de setembro de 2016, o candidato Paulo Márcio realizou carreata em Água Doce do Norte com centenas de veículos da cidade e de municípios vizinhos, como Barra de São Francisco, Ecoporanga, Mantena-MG e Nova Belém-MG, além do transporte de passageiros com vans escolares do distrito de Santo Agostinho para a sede do município de Água Doce do Norte, para participação de caminhada e carreata no mesmo dia 11/09.

Em depoimento a polícia militar, o coordenador de campanha do candidato Paulo Márcio, Nildo Gomes de Oliveira, disse que os veículos abastecidos foram de uma doação e que estavam devidamente declarados na campanha, mas não foi apresentado aos PMS, qualquer documento informando a referida doação e que aproximadamente 200 veículos entre motos e automóveis foram abastecidos no Posto Amigos do Norte.

Em relação a doação de combustível para a realização da carreata, inclusive utilizando veículos de outros municípios, além da farta comprovação mediante vídeos e fotos, mostrando até mesmo o carro do gabinete na carreata e exibe áudio gravado com Juvenal Calixto, vereador e candidato a reeleição de Barra de São Francisco, onde confessa, conforme ação, que realmente foi recrutado para “fazer movimento para o 25”, em Água Doce do Norte.

Quer dizer, recebeu combustível da campanha dos candidatos a prefeito e vice prefeito para “movimentar” eleitores, para dar expressão corporal a carreata e passeata, portando, despesa que deveria – se legal fosse – estar incluídas nas despesas de campanha dos candidatos.

Além do candidato a prefeito e vice, outros nomes figuram na lista da ação de investigação judicial eleitoral, como, Pastor Charles e Francisco Monteiro Neto (Chiquinho). Na ação constam ainda os nomes de quatro candidatos a vereadores, que são: Francisco Monteiro Neto, Antônio José Garcia, Alonso Cordeiro de Souza, José Soares da Silva e Jacinto Lopes.

Conforme a ação impetrada na justiça eleitoral, eles estavam entre os maiores articuladores na captação de veículos dentro do município e fora, indicando a quem deveria ser entregue os referidos vales assinados pelo pastor Charles Rodrigues para que se efetivasse o abastecimento no posto Amigos do Norte, desse modo, conforme ação participaram diretamente do possível crime eleitoral cometido pelo candidato a prefeito Paulo Márcio. Algumas notas de abastecimentos foram encaminhadas a justiça eleitoral.

img-20160920-wa0036 img-20160920-wa0035 img-20160920-wa0034 img-20160920-wa0033 img-20160920-wa0032