Câmara de Barra de São Francisco começa a analisar cassação de prefeito e vice segunda feira

754
Matheus Ferreira e Luciano Pereirinha estão na marca do penalt
Matheus Ferreira e Luciano Pereirinha estão na marca do penal

A Câmara de Vereadores de Barra de São Francisco deverá dar conhecimento “oficial” aos seus membros, da notícia-crime apresentada pelo Ministério Público (MPES) contra o prefeito Luciano Pereira, seu vice, Matheus e o empresário Moisés Martins, por “Prática de Irregularidades na Gestão de Recursos Públicos Municipais”, na próxima sessão legislativa da Casa, que acontece na segunda-feira, dia 15 de fevereiro.

O presidente do Legislativo, Juvenal Calixto, assegurou ao site Gazeta do Norte que irá fazer a leitura do documento enviado pelo MPES durante a sessão. A partir daí a matéria será encaminha às comissões, para que dê parecer pelo arquivamento ou pelo início do processo de cassação do prefeito e do seu vice, Matheus.

Pereira, Matheus e Moisés são acusados pelo MPES de criarem uma quadrilha para assaltar os produtores rurais, cobrando R$ 30 a mais por serviços de hora/máquina, quando a prefeitura já pagava R$ 60 a hora/máquina pelo mesmo serviço.

Até o momento, pelo menos três vereadores – Lula Cozer, Valézio Armani e José Valdeci – já teriam se posicionado a favor da cassação. Os vereadores Antônio Morais e Paulinho do Hospital também teriam se posicionado favoráveis ao impedimento dos gestores.

“No entanto, a Casa conta atualmente com treze vereadores e a maior parte dele ainda está atrelada ao cordão umbilical do prefeito Luciano Pereira”, afirma um vereador que pediu para não ter seu nome identificado.

Como alguns vereadores também estão diretamente envolvidos nas falcatruas denunciadas pelo MPES, os vereadores independentes acreditam que só a Justiça conseguirá condenar e cassar o mandato do prefeito e de seu vice.

Na verdade, alguns vereadores, como Tiãozinho da Colina, Aloysio Alves e Jessui da Cesan aparecem no inquérito do MPES, sendo apontados pelos produtores rurais, como as pessoas que “intermediaram” o serviço para eles junto ao prefeito e ao empresário Moisés.

O próprio presidente da Câmara, Juvenal Calixto, estaria disposto a votar pela cassação do prefeito e do vice, já que ele seria diretamente beneficiado, pois assumiria a prefeitura imediatamente. E como não há tempo hábil para nova eleição, Juvenal seria o prefeito até o final do ano.

Os vereadores tidos como aliados do prefeito hoje são: Camatinha, Mulinha, Jessui da Cesan, Aloysio Alves, Tiãozinho da Colina, Antônio Morais e Carlim da Dengue.

“Está chegando a hora da Câmara de Barra de São Francisco resgatar os rumos da política do nosso município que ficou totalmente desgastada perante a opinião pública com a péssima administração desse prefeito e seus comandados”, disse um internauta