Briga por causa de som em igreja, entre outros acontecimentos em Barra de São Francisco

826

6756O último dia do mês de abril terminou com a polícia militar de Barra de São Francisco tendo que confeccionar um boletim de ocorrência narrando sobre perturbação se sossego no centro de Barra de São Francisco, na Beira Rio, próximo da Capela Mortuária.

A Polícia Militar foi provocada por um solicitante morador próximo ao local, que acionou a polícia militar para informar que uma igreja situada em frente sua residência estava com o som muito alto, porém era só a polícia sair do local e o pastor aumentava novamente o som.

Ao ser questionado sobre o fato ocorrido, os militares concluíram que na verdade se tratava de uma outra igreja que existia  próximo do local e quando uma igreja abaixava o som a outra aumentava, causando transtorno ao morador que disse para os militares que a igreja que fica na Beira Rio é que estava atrapalhando e que a igreja que existe no terraço onde reside não estava prejudicando-o em nada.

Os militares não tiveram outra alternativa a não ser conduzir o fato até a presença do delegado para as providências cabíveis. Tem sido constantes as reclamações de som alto em igrejas em Barra de São Francisco e as mesmas precisam respeitar o cidadão e também podem responder por perturbação de sossego.

Mãe flagra homem acariciando filha de 12 anos em Barra de São Francisco

Uma moradora da rua Elizeu Divino em Barra de São Francisco, acionou a polícia militar por volta das 03 horas da manhã de domingo, 03 de maio de 2014, e narrou que sentiu falta de sua filha de 12 anos e ao procurá-la notou que a mesma estava deitada na cama  em um outro quarto da residência com um rapaz, maior de idade conhecido por “Marquinhos”, e que os dois estavam se acariciando.

Ao questionar o que ele fazia em sua residência, Marquinhos se evadiu do local sem responder nada. A adolescente de 12 anos informou que tem o convívio com “Marquinhos” a dois meses e que não chegaram a manter relação sexual.

Após a narrativa de mãe e filha a polícia militar realizou preventivo no bairro Campo Novo, onde segundo informações da mãe o rapaz reside, porém o mesmo não foi localizado.

Mãe e filha foram conduzidas para a delegacia de polícia para as providências cabíveis e o rapaz identificado como Marquinhos poderá responder por “estupro de vulnerável”, podendo o delegado pedir ou não a prisão do mesmo, além do estupro de vulnerável, poderá ainda responder por invasão de domicílio caso entenda o delegado.

Adolescente de 16 anos agride mãe no bairro Colina

A polícia militar foi acionada para comparecer no bairro Colina, em Barra de São Francisco por volta dos 30 minutos de sexta-feira, 1º de maio de 2015, onde uma mulher narrava que seu filho de 16 anos a agrediu com pedradas e ao ser localizado o adolescente informou aos militares que foi na residência de sua mãe para buscar suas roupas, pois vai morar com uma jovem e os dois (mãe e filho) iniciaram uma discussão, momento que segundo o adolescente sua mãe a agarrou pelo pescoço e ele a segurou pelo braço, já a mãe disse que o filho a seguiu até um beco onde ela mora e começou a agredi-la com pedras.

Os dois foram conduzidos para a delegacia de polícia para as providências cabíveis. É por este e outros fatos semelhantes que sou a favor da maioridade penal ser baixada para 16 anos, pois os jovens nesta idade sabem de suas obrigações e das consequências das mesmas e tem a responsabilidade de arcar com suas atitudes.

Torcedor do fluminense agarra mulher pelo pescoço e rouba aparelho celular

“Ele me agarrou pelo pescoço, roubou meu aparelho celular, nunca passei por isso, é horrível”. Por volta das 19h40min, de sábado, 02 de maio de 2015, um roubo em via pública foi registrado pela polícia militar de Barra de São Francisco.

Uma mulher de 25 anos, moradora do bairro Bambé em Barra de São Francisco, foi vítima de roubo quando passava na rua Gumercindo Farias na subida do Ginásio. A mulher informou para a polícia que quando seguia para sua casa um desconhecido de cor moreno claro, trajando uma camisa do fluminense, boné amarelo, conduzia uma bicicleta Monark, a agarrou pelas costas e em seu pescoço na tentativa de enforcá-la e brutalmente lhe tomou o aparelho celular e em seguida o desconhecido prosseguiu pela rua Gumercindo Farias no Centro da cidade.

A polícia militar fez rondas com o objetivo de localizar o desconhecido infrator que não foi localizado.