Barra de São Francisco vai manter restrições e toque de recolher por pelo menos uma semana

2635

Entre as 37 cidades considerada em risco extremo para Covid19 no Estado, conforme o mapa anunciado nesta sexta-feira (2) pelo governador Renato Casagrande, o município de Barra de São Francisco vai continuar com fortes restrições ao funcionamento de atividades econômicas e com o toque de recolher entre as 20 horas de um dia até às 6 horas do dia seguinte, conforme anunciou o prefeito Enivaldo dos Anjos (PSD).

Isto até que uma nova avaliação de risco seja feita, pois o número de pessoas com o vírus ativo bateu novo recorde na cidade, com crescimento de 11,7% em relação ao dia anterior, conforme os números divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde. O número de doentes aumentou de 470 para 525 pessoas, enquanto apenas dez pessoas a mais foram dadas como recuperadas: 2.676.

O número de mortes anunciado pela Sesa é de 113 pessoas, mas informações das autoridades municipais dão conta de outras cinco mortes não computadas no Hospital Dr Alceu Melgaço Filho, por serem de outras cidades, e pelo menos mais três que não entraram ainda nas estatísticas. Uma criança de 11 meses morreu durante a transferência para Colatina e a suspeita é de Covid.

A Secretaria de Estado de Saúde atualizou os números e apontou que em março 43 pessoas morreram na cidade, enquanto apenas sete óbitos foram registrados em fevereiro, o que representa um aumento de mais de 600% no número de óbitos.

O prefeito vai manter as regras atualizadas do decreto municipal que mantém o funcionamento apenas de supermercados, farmácias, oficinas mecânicas e algumas outras poucas atividades e o toque de recolher, proibindo circulação à noite.

“Continuamos em risco extremo, de acordo com o mapa de risco anunciado pelo governador, e vamos continuar com as restrições enquanto trabalhamos para reduzir o agravamento da situação. Nosso novo centro de atenção à Covid está realizando testes imediatos de quem se apresenta com suspeita e quem der positivo já entra em tratamento para evitar de se agravar. Temos estrutura para tratar até 50 pessoas simultaneamente”, disse Enivaldo.

Famílias em situação de vulnerabilidade fazem fila para receber almoço no Centro de Apoio Alimentar: 700 refeições por dia

O prefeito também salientou o trabalho que está sendo feito pelo Centro de Apoio Alimentar, que está fornecendo uma média de 700 refeições diárias para a população em alto grau de vulnerabilidade. As famílias se inscrevem na Secretaria da Mulher, Habitação e Assistência e podem receber os marmitex no galpão cedido pela Igreja Presbiteriana.

“A nossa população em sido solidária e muitas doações de alimentos têm chegado até nós. Enquanto eu estiver aqui, a população pobre do município não vai passar fome. Vamos juntos vencer essa guerra, com fé em Deus”, disse Enivaldo.

Um áudio enviado por um enfermeiro com orientações à família para ficar em casa dá conta da gravidade da situação no Hospital Dr Alceu Melgaço Filho. O áudio do enfermeiro é dramático e ele relata que, agora, as contaminações estão sendo muito grandes nas famílias.

“Só quem está aqui dentro do hospital sabe o que está acontecendo. Todo dia está morrendo cinco a seis pessoas no hospital, chega que chega andando, no dia seguinte é intubada e morre logo depois. Não está dando para segurar os pacientes”, relata o profissional da saúde.

Por: Weber Andrade, TNL