Audiência Pública contra municipalização do polivalente lotou a Câmara de Barra de São Francisco

489

DSC00695Foi realizada uma audiência pública na Câmara Municipal de Barra de São Francisco nesta quinta-feira, 19 de março de 2015, onde alunos, pais de alunos, professores, vereadores, deputado, entre outros seguimentos da sociedade lutam para não permitir que o colégio polivalente seja municipalizado.

A Audiência Pública promete defender os interesses de professores e alunos da rede estadual, pois, Está nos planos do governo do Estado a municipalização de cerca de 11 escolas em Barra de São Francisco e de acordo com as informações que se tem é a de que o governo tem interesse, bem como a prefeitura e neste caso algumas podem ser municipalizadas.

Participaram da reunião 10 dos 13 vereadores, os únicos que não compareceram foram Camatinha, Emerson Lima e Mulinha, presença ainda de representantes de sindicatos de categorias envolvidas na manifestação, além de professores e alunos e o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD). O prefeito e o secretário de educação não compareceram ao encontro e também não se manifestaram sobre o caso.

De acordo com os professores, essa possível municipalização poderia trazer prejuízos para profissionais da categoria e também para os alunos.

Antes de audiência pública, professores, alunos, entre outros realizaram uma passeata pelas ruas da cidade contra a municipalização do polivalente, um dos colégios mais tradicionais de Barra de São Francisco. Durante a passeata foram utilizados cartazes, faixas, apitos, entre outros.

Os manifestantes seguiram a pé até a câmara municipal, onde os professores, pais e alunos assistiram a reunião, sendo que foi improvisado um telão onde todos os presentes puderam ver com seus próprios olhos as fotos das escolas e da merenda escolar sobre o descaso com a área de educação em todo município.

Mazinho do hospital, que é presidente a Associação de Moradores do bairro Irmãos Fernandes, onde fica a Escola Polivalente, e os vereadores Jessuí da Cesan, Valézio Armani, Zé Valdeci,Carlin da Dengue, Paulinho do Hospital, Juvenal Calixto, Lula Cozer, saíram em defesa dos professores e tiveram falas positivas, com aplausos dos manifestantes.

Já os vereadores Aloisio Alves Antônio Morais e Tiãozinho da Colina não fizeram o uso da palavra. Quem também utilizou a palavra foi o ex-vereador Sargento Quenidio. Os manifestantes estavam animados e batiam palmas a todos instante, sem contar que alguns alunos utilizaram a tribuna da câmara para poder desabafar sobre o caso.

O site Gazeta do Norte vem dando total cobertura aos professores, pais e alunos desde os primeiros dias das manifestações ao qual eles buscam seus direitos, na tentativa de impedir o que, para eles, pode ser desgastante e seguido de danos irreparáveis.

Todos os que usaram da palavra para se pronunciar foram positivos em suas falas, ao dizerem que os professores estão certos e têm que buscar seus direitos.

Entre os manifestantes, funcionários da empresa Libra pegaram carona também reivindicaram seus direitos.

Os trabalhadores estão em greve por falta de pagamento quase quatro meses. Muitos reclamam que estão sem receber e estão passando por dificuldades o que está gerando desconforto para todos os funcionários. Conforme documentos enviado a CPI do Lixo pela representante da Libra, a prefeitura não está pagando, mas o prefeito afirma que paga. Agora todos querem saber que são os verdadeiros mentirosos nesta história.

O deputado Enivaldo dos Anjos foi logo ao assunto e disse que as vezes a população se acomoda muito quando é preciso buscar seus direitos, mas que agora as pessoas estão perdendo este medo e estão criando “coragem” para reivindicar seus benefícios.

“Aqui em Barra de São Francisco voltou como antigamente onde se faziam reuniões as escondidas para que ninguém tomasse conhecimento do que se tratava, infelizmente esta onda voltou a ser praticada, onde se fazem ameaças, pressão e medo em quem tenta se manifestar de maneira calma e tranquila”, disse Enivaldo.

“Enquanto muita gente tentar a todo custo buscar soluções para seus problemas a imprensa faz a cobertura e ainda tentam censura-la”, a liberdade de imprensa tem que existir”, defende Enivaldo dos Anjos.

“Já comuniquei ao governador Paulo Hartung e ao secretário de Estado de Educação para não aceitar municipalizar o polivalente, eu sou contra esta municipalização e quero diante mão parabenizar os manifestantes por estar em busca do que é importante para o município”, afirma Dos Anjos. “Se aceitarem a municipalização da escola polivalente é porque perderam o “juízo”, detona o deputado.

“O Estado não pode impor a municipalização, inclusive, está tramitando na Assembleia Legislativa um projeto lei de minha autoria, que mesmo que seja municipalizado, que o prédio e área pertencente ao Estado só poderá ser utilizado para a educação”, informa o parlamentar.

Enivaldo dos Anjos propôs, inclusive, ônibus para que os manifestantes possam se deslocar de Barra de São Francisco para irem a secretaria de Estado da Educação em Vitoria para pressionar o secretário a desistir da municipalização do polivalente”, propôs Dos Anjos. O deputado disse aos presentes que conta também com os apoios dos demais parlamentares da região norte.

“Se não houver diálogos vamos fazer movimentos, convocar a imprensa e todos os seguimentos da sociedade para buscarmos soluções para este impasse”, disse Enivaldo.

Foi criada uma comissão para tentar um diálogo com prefeito, mas foi difícil conseguir 5 pessoas que toparam fazer um oficio ao chefe do executivo solicitando do mesmo uma audiência encabeçada pelo professor Mário Agapito.