Ataques de onças deixam animais mortos e preocupam produtores rurais em Águia Branca

740

No interior do Espírito Santo, os ataques de onças têm preocupado produtores rurais do município de Águia Branca. O caso mais recente aconteceu na metade de janeiro, quando dois carneiros foram mortos. Por causa das ocorrências, agricultores estão com medo de trabalhar na roça.

Em uma propriedade, 15 carneiros foram mortos nos últimos quatro anos. No último ataque, o produtor contou que deixou os animais sozinhos enquanto saiu para almoçar. Ao voltar, encontrou dois abatidos.

“Eu estava trabalhando com motosserra, com trator, com cachorro que me acompanha. E parece que a onça estava vigiando eu sair para abater os animais”, disse o produtor Giovani Aloquio.

Em 2015, na mesma propriedade, os animais que sobreviveram aos ataques ficaram machucados. Na época, um filhote de onça parda foi capturado pela Polícia Militar Ambiental na região.

Depois disso, por orientação do Ibama, o produtor construiu um curral, instalou cerca elétrica, colocou luzes, e levou um cachorro para o local, mas nada disso adiantou.

A preocupação é maior porque, de acordo com eles, as onças estão aparecendo com mais frequência e durante o dia, perto das casas. Isso tem alterado até a rotina dos moradores e trabalhadores, porque as pessoas estão com medo de trabalhar.

“Tem muitas pessoas que usam a irrigação para molhar café à noite e eles não estão querendo sair mais para fazer esse serviço, estão apavorados. Na colheita, tinha um pessoal colhendo e café no vizinho e, quando eles estavam trabalhando, passou uma onça com dois filhotes. Eles largaram a lavoura, as peneiras, e o dono da propriedade teve que arrumar outras pessoas para fazer apanha do café, porque eles não quiseram voltar”, disse Giovani.

O produtor Paulo Sérgio Kalke conta que uma onça apareceu perto da casa dele. “Vi os carneiros correndo. Cheguei lá, ela [a onça] estava debaixo do pé de manga a uns 100 metros da minha casa. Ela correu de nós. Eu cheguei a ver ela, sim”, disse.

Por causa dos ataques, ele desistiu da produção de carneiros. A preocupação agora é com o gado. “A preocupação é com os bezerros que nascem. Já teve caso de eu chegar lá e não encontrar nada. Não encontrei o bezerro. Não vi sinal de nada”, disse.

De acordo com os produtores, o Ibama já foi avisado dos novos ataques, mas o produtores reclamam que ninguém foi até lá para vistoriar.

“Quando atacar uma criança, depois vai falar ‘Por que você não avisou ao Ibama, aos órgãos competentes?’. Já foi avisado uma vez, está sendo avisado de novo. Depois uma pessoa acaba matando uma onça dessa por invadir a casa dela, vai falar que o proprietário não avisou ao Ibama. O recado está dado, que eles tomem as providências”, finalizou Giovani.

Polícia Ambiental

Em nota, Polícia Ambiental disse que não captura animal solto em ambiente natural. Esse tipo de resgate só é feito quando o bicho está em um local acuado, como quando invade uma casa.

Fonte: g1