Assembleia quer saber da Justiça se existem escutas telefônicas legais de deputados

372
Deputados Ferraço e Enivaldo
Deputados Ferraço e Enivaldo

Provocada pelo deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), que na última semana denunciou da tribuna que o sistema “guardião” estaria sendo utilizado para escutas clandestinas de críticos do Governo, a Presidência da Assembleia Legislativa oficiou ao Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) solicitação de informações quanto à possível existência de interceptações telefônicas legais de deputados estaduais.

O anúncio foi feito na sessão desta segunda-feira (1). Líder do Governo na Assembleia, o deputado Gildevan Fernandes (PV) expressou sua confiança nas autoridades que conduzem a segurança pública do Estado e, “diante da ausência de indicativos”, não acredita em qualquer ação do Governo em interceptar ligações telefônicas dos Deputados.

Em aparte, o deputado Enivaldo dos Anjos criticou a posição do líder do Governo, destacando que “não é possível fazer voto de confiança à Secretaria de Segurança, quando um batalhão da Polícia Militar tem quase 40 armas roubadas”.

Ao mesmo tempo em que agradeceu a providência da Mesa Diretora em relação à escuta telefônica, o deputado Enivaldo dos Anjos solicitou que fosse oficiado ao prefeito municipal de Vitória para tomar providências contra ameaças de servidores da Guarda Municipal de Vitória contra motoristas da Assembleia e parentes de deputados, como represália contra as investigações da CPI da Máfia do Guincho.

“Hoje um guarda que foi ouvido disse que não obedece ao decreto da Prefeitura, mas apenas o Código de Trânsito, demonstrando claramente que a Prefeitura está sem controle sobre a Guarda Municipal”, destacou Enivaldo, ao exigir que o Prefeito precisa comandar esses servidores e “colocar ordem na casa”. Enivaldo destacou a independência e autonomia da Assembleia e dos deputados em exercerem suas atividades, registrando que o Poder Legislativo continuará a “sua atuação firme e destacada”.

O deputado Bruno Lamas registrou a importância do trabalho da CPI da Máfia dos Guincho, destacando, inclusive, que as pessoas o têm parado nas ruas elogiando a atuação do deputado Enivaldo na CPI.