Assembleia Legislativa anuncia hoje quem fará parte da CPI da máfia do Guincho

456
Deputado estadual Enivaldo dos Anjos
Deputado estadual Enivaldo dos Anjos

Será anunciado hoje, segunda feira, 30/03/2015, na Assembleia Legislativa quais os partidos que poderão indicar os membros para a 4ª Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que será aberta na Casa neste ano, desta vez para apurar denúncias na apreensão e guarda de veículos. A chamada CPI da Máfia dos Guinchos e Pátio, assim como as demais, será formada por 5 membros, sendo que uma das vagas é destinada ao deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), que foi o autor da proposta da comissão.

A resolução que criou o grupo de investigação foi publicada no Diário Oficial da Assembleia na última quinta-feira. Segundo explicou o deputado Enivaldo dos Anjos, a definição de quais partidos que terão vaga na CPI será feita de acordo com a proporcionalidade partidária, ou seja, o tamanho das bancadas, e o rodízio de participação das siglas com menor representação na Casa.

Além de Enivaldo, subscreveu a criação da Comissão o deputado Euclério Sampaio que, se couber vaga ao PDT, deverá ser mais um nome confirmado. Depois da definição de quais partidos terão cadeira na CPI, caberá às legendas indicarem os nomes. Enivaldo acredita que até a quartafeira todos os membros já estejam definidos. Já os trabalhos devem se iniciar na próxima semana.

O parlamentar proponente dos trabalhos disse que vai colocar o nome à disposição para presidir a CPI. Segundo ele, entre as informações a serem investigadas está a forma com que as empresas são contratadas e para onde são destinados os recursos arrecadados com multas e o serviço. “Como membro vou apresentar pedido para que o diretor-geral do Detran (Fabiano Contarato) seja convocado para falar na CPI”, afirmou Enivaldo. Contarato preferiu não se manifestar.

O prazo de funcionamento da CPI é de 90 dias podendo ser prorrogado por mais 90. Ao propor a comissão na última semana, o deputado disse que empresas de guincho no Estado são controladas por policiais militares da reserva e estariam atuando para extorquir a população com o valor do serviço.

Entenda o caso

O deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) denunciou recentemente na Assembleia Legislativa, que “existe uma máfia dos guinchos operando no Estado para extorquir a população” sem que o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) tome alguma providência sobre o caso.

Segundo ele, as empresas são controladas por policiais militares da reserva contratadas pelo Estado para guinchar veículos em blitz que são promovidas nos municípios capixabas.

A denúncia ocorreu logo após o líder do governo, deputado Gildevan Fernandes (PV), pedir dois dias – que foi negado – para avaliar o projeto de lei da Mesa Diretora que proíbe guinchar veículos no Estado por causa do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) atrasado.

Enivaldo quer pressa para aprovar o texto porque, segundo ele, “é preciso acabar com a máfia dos guinchos”. “Esses guinchos são compostos por policiais da reserva que estão extorquindo o cidadão capixaba. Essa máfia, e o diretor do Detran não tem coragem de acabar com isso”, disparou.

De acordo com Enivaldo, “as blitze são agendadas, apreende os veículos, e é cobrada a taxa de R$ 190 por cada viagem e, quando apreende 10 motos, coloca em cima do mesmo carro e cobra R$ 190 de cada uma”, afirmou. Também ontem, os deputados Euclério Sampaio (PDT) e Marcelo Santos (PMDB) voltaram a fazer dobradinha para alfinetar o prefeito de Cariacica, Geraldo Luzia de Oliveira Junior (PPS), o Juninho.