Alencar Marim deve anunciar hoje que rede municipal de ensino não retomará aulas presenciais em 2020

194

O anúncio feito pelo Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec), esta semana, de que estava abrindo consulta pública sobre o retorno às aulas presenciais em Barra de São Francisco, no site ocontestado.com e também no site da Prefeitura provocou uma reação em cadeia de pais e mães de alunos que não aceitam que seus filhos voltem às escolas este ano. 

A consulta pública (Acesse o formulário aqui) está aberta e envolve os profissionais da Rede Municipal de Ensino e os pais dos alunos. O prefeito Alencar Marim prometeu para hoje, 2, uma decisão, que irá acatar a vontade da maioria. 

Entre muita desinformação sobre a questão – gente dizendo que o prefeito não se importa com os filhos dos outros – nas redes sociais, os pais e mães não deixam dúvidas: ninguém quer que seus filhos voltem às aulas presenciais este ano. 

“É uma decisão difícil e não cabe a mim, sozinho, decidir. Por isso, acionamos os profissionais da Semec, desde funcionários da manutenção, administrativos e professores, além dos pais de alunos, para avaliar se é viável ou não”, afirma o prefeito.  

Marim destaca ainda que mesmo que seja aprovada pelos consultados, essa volta não seria de forma plena, mas sim mesclada com as aulas e atividades remotas. “Eu, enquanto educador, não sou favorável à volta das aulas este ano, uma vez que as crianças, embora sejam mais resistentes, podem funcionar como vetor da doença, levando ao adoecimento de familiares. No entanto, como disse antes, essa decisão será dos profissionais de educação e pais de alunos”, concluiu. 

Vejam algumas opiniões colhidas no Facebook 

Mirrailly Renata: “Eu que não mando os meus filhos para escola agora, só mando mesmo quando tiver certeza mesmo que saiu o remédio para covid.” 

Alcina Alves: “Mas essa lei não é prefeito e do presidente e deputados, mas não quero debater com ninguém, meus filhos são especiais, tem alergia e asma, bronquite crônica, eles não vão.” 

Rosiane Cavaleiro: “O meu filho também não Irá retornar, pois seu pai é da linha de risco.” 

Luciana De Freitas: “A minha filha não volta enquanto não for seguro, esse ano letivo, de qualquer forma, ao meu ver, já foi perdido mesmo.” 

(Weber Andrade/Ocontestado)