Administração de Barra de São Francisco/ES abandonou a população

493

68Francamente não consigo entender a inércia do prefeito de Barra de São Francisco/ES em atender as necessidades básicas da população francisquense.

É de conhecimento geral que as finanças da prefeitura municipal vão muito bem, com recursos oriundos do próprio município por meio de impostos e taxas diversas; do governo do Estado, do governo Federal e até recursos internacionais, além de roaltyes.

Mesmo assim o município sofre com um abandono total. A área de saúde está no CTI, o atendimento a população é péssimo, não há remédios e nem os exames e outros atendimentos básicos da saúde. Ninguém sabe onde o prefeito enfia os recursos do Sus que são destinados pelo governo Federal.

A área de educação também está caótica, com escolas caindo aos pedaços, transporte escolar paralisado por falta de pagamento, várias crianças fora das salas de aulas por falta de transporte, enfim, omissão total por parte do administrador.

Em se tratando de infraestrutura a coisa se complica ainda mais. Todas as obras iniciadas com recursos do governo do Estado não foram concluídas. Foram interrompidas antes da metade das obras, porque a aplicação equivocada dos recursos não foi suficiente para concluí-las.

Agora vem a notícia de que existe à disposição do município, liberado pelo governo do Estado, mais de R$ 1 milhão para a conclusão das obras. Mas, infelizmente, o município não poderá receber tais recursos, porque o prefeito atual deixou o município perder a certidão negativa, repetindo a incompetência do pai dele, que quando prefeito fez a mesma coisa.

Entretanto, o pior problema de Barra de São Francisco, ou seja, o calcanhar de Aquiles do atual prefeito é a limpeza urbana. A cidade virou um depósito de lixo gigante. Urubus, cachorros de rua, e ratos disputam a dentes os lixos espalhados pela cidade e no interior do município. Isso sem contar o perigo constante do lixo hospitalar quase nunca recolhido.

E olha que antes o prefeito Waldeles Cavalcante, que trabalhou durante seis anos com recursos próprios, sem nenhuma ajuda dos governos Estadual e Federal porque o município não possuía certidão negativa, realizou serviços relevantes para a população, como varrição de ruas, coleta regular de lixo, fumacê contra mosquitos da dengue na cidade e nos distritos e córregos, dentre outros.

Na época do Waldeles havia limpeza de valas, que são consideradas o maior criatório de mosquitos da dengue; havia capinas manual e química, caminhão pipa lavando as ruas principais da cidade, enfim, a cidade tinha outra vida, porque possuía um administrador responsável e preocupado com o bem-estar da população.

Hoje a varrição é precária, o fumacê não existe e os mosquitos tomaram conta de tudo. A área da feira é um mau cheiro terrível, incomodando aqueles que ali vão para comprar verduras frescas. O mau cheiro é insuportável também em frente à igreja católica, que é um cartão postal da cidade.

E agora a novidade de que o prefeito vai gastar o dinheiro do município com realização de festas, já tendo como certa a presença do cantor meia boca Luan Santana.

Parafraseando o grande orador romano Cícero, pergunto ao atual prefeito: *Quosque tandem abutere patientia nostra?

Em tradução livre: *Até quando vai abusar de nossa paciência?

AS CPIs instaladas na Assembleia Legislativa (Ales) vão colher depoimentos de autoridades nas reuniões da próxima semana para dar continuidade aos processos de investigação. A CPI da Máfia dos Guinchos convocou prefeitos da Grande Vitória para o encontro de segunda-feira (17), às 11h, no plenário Dirceu Cardoso. O colegiado investiga denúncias de irregularidades, incluindo possível acordo entre autoridades e empresas contratadas para prestar o serviço de remoção de veículos e manutenção de pátios.

Por: Elvecio Andrade