Administração de Barra de São Francisco se enrola cada vez mais com a justiça

825
Todos estão respondendo procesos judicialmente
Todos estão respondendo processos judicialmente

Os representantes do Ministério Público do Estado do Espirito Santo, estão sendo elogiado de canto a canto no municio, e não é para menos, pois os trabalhos realizados pelos promotores tem gerado esperança na população local. Quando muitas pessoas falavam pelas ruas da cidade que não tinham mais esperança de ver o fim da possível prática de corrupção, assédio moral e perseguição a funcionários da prefeitura municipal, uma luz no fim túnel reacendeu.

Os promotores de justiça reagiram a essa possível desconfiança por parte de parte da sociedade, foram a luta e deu no que deu. Descobriu o MP que a possível farra com o dinheiro público estava sendo desviado. Durante as investigações por parte do MP, descobriu-se que uma quadrilha estava retirando dinheiro dos produtores rurais e embolsando.

Os denunciados pelo MP foram o prefeito Luciano Pereira, o Pereirinha (DEM), seu vice Matheus Ferreira (PMDB), Moises Antônio Martins e suas empresas, entre outras. A mãe de Moises a senhora Rut Martins é quem era a testa de ferro do filho, mas ela contou tudo ao MP, desmascarando a farsa do aluguel de máquinas.

Até a esposa do prefeito teve seu nome mencionado como sendo avalista de Moises, juntamente com o marido prefeito. Alguns estão respondendo judicialmente e se condenados poderão até serem presos, além de terem que devolver todo dinheiro desviado de maneira fraudulenta.

O prefeito, secretários, ex-secretários, além de comissionado também foram denunciados pelo MP e já estão respondendo judicialmente pela prática de assédio, perseguição e humilhação a funcionários da prefeitura municipal da cidade. Se condenados poderão ser enquadrados em improbidade administrativa, perca de função pública e devolução de dinheiro pago indevidamente.

Esta semana mais um caso surgiu no cenário, que é sobre a venda de peças de caminhão a particulares na garagem da prefeitura que veio à tona.

O delegado responsável pelo caso, indiciou três funcionários da prefeitura, sendo que o vereador licenciado e que ocupa o cargo de secretário de transportes está sendo apontado possivelmente como o mentor de toda trama. O comprador das peças também foi indiciado no mesmo caso.