R$ 25,9 milhões: Prefeitura de Ecoporanga investe em educação e saúde acima da exigência constitucional

330
Prefeito de Ecoporanga, Elias Dal’Col. (Foto Ramon Gava)

As áreas de educação e saúde, excluindo o repasse do Fundeb pelo Governo Federal, receberam recursos de R$ 25.900.213,90 da Prefeitura de Ecoporanga no ano de 2018. O índice de aplicação do total de receitas do Município na educação foi de 26,50% e na saúde foi de mais de 20,76%, superando as exigências constitucionais de 25% e 15%, respectivamente. Os números foram apresentados pelo secretário municipal de Finanças, Edion dos Santos Almeida, nesta terça-feira (12).

O secretário relatou diversos dados da gestão fiscal no ano de 2018. Na saúde do município já foram investidos R$ 14.038.150,91 alcançando com isso um índice de 20,76%, muito superior ao exigido, que é de 15%.

A pasta da educação recebeu investimentos próprios dos cofres municipais o valor de R$ 11.862.063,03 superando o índice de 25%, com um montante total de 26,50%.

“Com estes recursos estão sendo realizadas reformas e ampliações de unidades de saúde e escolas, contratação de professores, educadores e médicos, dentre outras intervenções necessárias para o desenvolvimento e melhoria da qualidade de vida dos ecoporanguenses”, informou Edion.

Fundeb – O repasse feito pelo Governo Federal foi de R$ 9.316.003,49 para o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), e a Prefeitura de Ecoporanga investiu, com um percentual aplicado de 69,31% para valorização dos profissionais que fazem a educação no município, sendo que o Governo Federal exige uma aplicação de no mínimo 60% com o pagamento dos profissionais.

“São dados que comprovam, sem qualquer sombra de dúvida, que, mesmo diante de um ano marcado por dificuldades econômicas em nível nacional, o governo do prefeito Elias Dal’Col agiu de forma serena e equilibrada, garantindo mais dinheiro nestas áreas vitais e mostrando que Educação e Saúde são prioridades”, declarou o secretário de Finanças, Edion dos Santos Almeida.

Texto e Foto: Ramon Gava