Professora é encontrada estrangulada em plantação de eucalipto em São Mateus

925

Um mistério envolve o assassinato por estrangulamento da professora Regiane da Silva Pereira, de 40 anos. Ela trabalhava no Centro de Educação Infantil Amábile Zanelato Quimquim e também atuava como tutora do Polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) e teria sido deixada pelo marido na Igreja Católica do Bairro Ideal, na noite de domingo, onde participaria de um culto.

O corpo de Regiane foi encontrado pela manhã desta segunda-feira às margens de uma estrada de chão em meio a uma plantação de eucalipto na região do Bairro Seac, local conhecido como Três Pistas, a 30 metros da BR-101, ainda no município de São Mateus. A localização do corpo chamou a atenção de vários moradores da região.

O marido da professora, Paulo Sérgio de Oliveira, contou aos policiais militares e civis que estiveram no local do achado do corpo, que deixou Regiane por volta das 18 horas na Igreja próxima a empresa de alimentação Cozivip e ela disse que não havia necessidade de busca-la porque, após o culto iria a uma pizzaria com uma amiga.

Paulo disse ainda que estranhou o fato de Regiane não ter ligado para ele e que tentou falar com ela pelo celular, mas não foi possível porque a esposa havia deixado seu aparelho em casa.

Ainda no local do achado do corpo, antes mesmo que fosse levado para o Serviço Médico Legal de Linhares, o perito da Polícia Civil que esteve no local constatou que Regiane morreu em decorrência de estrangulamento, já que havia marcas em seu pescoço. Regiane deixa uma filha de três anos.

O corpo da professora será velado na Capela Mortuária de São Mateus a partir do meio dia desta terça-feira.