Policiais Militares estão implacáveis contra a bandidagem em Nova Venécia

481

Policiais Militares do 2º Batalhão de Nova Venécia deslocaram até o centro da Cidade nesta segunda feira, 18/11/2019, por volta das 11h50min, a fim de verificar uma motocicleta suspeita estacionada em frente ao Banco Bradesco.

A motocicleta encontrada tratava-se de uma moto Honda CG 125 Fan, a qual, após consulta no sistema do SISP, possuía restrição de furto, a motocicleta foi removida e entregue a delegacia de Polícia Civil de Nova Venécia.

Receptação

Na tarde desta segunda (18/11/2019), por volta das 14h17min, em cumprimento à solicitação do Delegado chefe da 17ª Delegacia Regional de Nova Venécia/Es, Policiais Militares se deslocaram à residência de S.S.J., 30 anos, localizada no Bairro São Cristóvão, a fim de averiguar se ele encontrava-se de posse do aparelho de telefone celular smartphone quantum dourado com uma capa cinza, roubado em 22 de setembro deste ano.

Ao chegar ao local, o suspeito foi informado dos fatos. A justificativa apresentada por ele, foi que ele adquiriu o aparelho recentemente de seu sobrinho, no valor de R$150,00 e cadastrou a linha em seu nome. Mediante as informações coletadas, S. e o aparelho de telefone foram encaminhados até a 17ª Delegacia Regional de Nova Venécia/ES, onde foram apresentados a autoridade policial, para as providências que o caso requer.

Trafico de drogas

Após denúncia anônima feita ao setor de inteligência, dando conta de que J.F.J., 18 anos, estava comercializando entorpecentes no Bairro Ângelo Depollo, próximo a quadra de esportes, nesta segunda feira, 18/11/2019, por volta das 17h15min, Policiais Militares se deslocaram até o endereço para averiguar uma denúncia.

Ao se aproximarem visualizaram o momento exato em que o suspeito entregava algo para C.S.C. e ao mesmo tempo recebeu algo, quando notaram a chegada dos Policiais C. tentou dispensar algo, que posteriormente foi constatado que o material dispensado se trava de crack. C. informou que havia adquirido a droga com J. pelo valor de vinte e cinco reais e ao realizar busca pessoal em J. foi encontrado em suas mãos o valor correspondente ao que foi pago pelas pedras (vinte e cinco reais).

Ato continuo foram realizadas buscas nas mediações onde costumeiramente J. se dirigia, com fim de buscar a droga para entregar aos consumidores, e foram encontradas debaixo de um pedaço de telha de amianto, envoltas em uma pequena sacola plástica, mais onze pedras da mesma substância, as quais o suspeito assumiu ser de sua propriedade, J. afirmou também que o valor encontrado com ele, era proveniente da venda de entorpecentes.