Polícia libera foto de Pica Pau, assassinado por uma quadrilha em Barra de São Francisco

2137
Pica Pau foi assassinado no bairro Estrela

A foto de Oseias Pereira, o Pica Pau, assassinado brutalmente no bairro Estrela em Barra de São Francisco, teve sua foto liberada. Foi grande a repercussão deste crime em todo o Estado. Internautas aguardam a liberação das fotos pela polícia dos supostos acusados de terem cometido o referido crime.

Entenda o caso

Uma denúncia anônima levou os policiais do 11º BPM de Barra de São Francisco, nesta sexta feira, 09/08/2019, ao bairro Estrela, onde segunda as informações havia ocorrido um assassinato e o corpo da vítima ainda  tinha sido queimada e enterrada em uma cova rasa no referido bairro.

Segundo  consta no B.O, trata-se do assassinato de Oseias Pereira,  conhecido pela alcunha de Pica-Pau, e cinco nomes foram detidos e foram  investigados pela Polícia Militar,  eles  estão sendo  acusados de  cometerem o homicídio, quando  atearam fogo e posteriormente enterraram o corpo da vítima em uma cova rasa nas imediações da casa dos acusados.

Prisão

Os policiais a partir dessas informações passaram a realizar buscas para encontrar os acusados do crime. Durante as diligencias um suposto acusado foi encontrado em umas das ruas nas proximidades do local indicado na denúncia, ao qual foi abordado e não demonstrou resistência durante as averiguações.

O segundo suposto acusado foi localizado também e ele estava no quintal de sua casa, e ao perceber a aproximação dos militares, passou a se portar com extremo grau de nervosismo, e quando lhe foi solicitado que atendesse a guarnição para que pudessem a esclarecer os fatos, este negou, e quando determinado a se colocar em posição de busca pessoal, o suposto acusado passou a resistir e a desobedecer a ordem legal, sendo necessário a guarnição policial usar de força necessária para contê-lo e imobiliza-lo.

Após buscas pessoais nada ilícitos foi encontrado, entretanto, mesmo diante do nada constatado, o suposto acusado continuou com o tom de voz alterada e tentava se desvencilhar da guarnição, motivo pelo qual lhe foi usado algemas, uma vez que a ficha do investigado é extensa, além das acusações de roubo e homicídio que pesam contra ele.

No momento em que os policiais realizavam buscas no local, o COPOM continuou a receber denúncias dando informação de que seriam os abordados que teria cometido o ato ilícito.

Diante de novas informações, foi realizado buscas no quintal da residência dos supostos acusados, bem como no entorno, sendo, que a poucos metros do quintal, em uma ribanceira, a equipe de militares passaram a sentir um forte odor de algo em decomposição, e, se direcionando por tal odor, os policiais começaram a escavar no local, tendo logrado êxito encontrando uma ossada humana em estado de decomposição, e ainda com sinais de incineração.

O local foi devidamente isolado, e imediatamente dado voz de prisão aos acusados que foram  posteriormente conduzidos ao DPJ de Barra de São Francisco, onde foram apresentados a autoridade competente. Uma das conduzida estava usando tornozeleira eletrônica.

Fonte: 11º BPM