Morte de macacos no Estado é a maior mortandade de macacos da história da Mata Atlântica

218

“Desastre” e “uma verdadeira mortandade”: são com essas palavras que o professor do Centro de Ciências Biológicas da Ufes, Sérgio Lucena Mendes, define a preocupação em torno da morte de macacos no Espírito Santo, suspeitos de terem contraído o vírus da febre amarela.

Ainda, segundo o professor, a morte dos primatas pode representar “a maior mortandade de macacos da história da Mata Atlântica”, explica. Para o especialista, o atual cenário vivido no Espírito Santo serve de alerta para o futuro. “É necessário investirmos num sistema de vigilância desses animais. Serve de alerta”, explica.

Fonte: gazetaonline

 

COMPARTILHAR