Diocese de São Mateus emite nota de orientações sobre a Pandemia do coronavírus

160

Novas orientações e determinações sobre as Atividades Pastorais e Celebrações Litúrgicas na Diocese de São Mateus, diante da Pandemia do coronavírus – COVID-19.

A Paz de Cristo!

Estamos vivendo dias de muita angústia e incerteza frente ao avanço do novo coronavírus (COVID-19). O mundo está em alerta e nós precisamos fazer a nossa parte, agindo com responsabilidade e compromisso comunitário.

Ainda temos tempo de evitar que essa pandemia avance de forma descontrolada: saia de casa apenas se for estritamente necessário e reze com muita fé ao nosso Deus misericordioso. Em outras palavras, é hora de vivermos a Igreja doméstica, cada um em seu lar e evitando o contato com outras pessoas, já que o vírus se alastra numa velocidade alarmante.

O território de abrangência da Diocese de São Mateus pode facilitar a disseminação dessa doença. Somos vizinhos dos Estados de Minas Gerais e Bahia que, assim como o Espírito Santo, abrigam grandes indústrias.

Vale evidenciar a presença de pessoas de diversas nacionalidades em nossa região por causa do turismo, das exportadoras de granito, das produtoras de café, entre outros polos de mercado. Enfim, há muitas pessoas em circulação e, por isso, é nosso dever minimizar o trânsito humano.

Diante do cenário atual, em espírito de comunhão, o Bispo Diocesano, após ouvir o Presidente do Regional Leste II e o Arcebispo de Vitória, reuniu o Colégio dos Consultores e o Conselho Presbiteral nesta manhã, 20/03, para dar continuidade às orientações do Decreto emitido no dia 17/03. Após reflexão achamos por bem apresentar NOVAS ORIENTAÇÕES a serem cumpridas por sacerdotes e fiéis pelo bem da saúde de todos. Fica assim determinado:

1 – SOBRE AS IGREJAS

– Ficarão abertas, principalmente as principais/centrais, conforme o costume local, para visitação e orações pessoais. Manter o clima orante, pelo fundo musical, Récita do Terço gravado ou particular, músicas religiosas e outros elementos para facilitar a oração pessoal. As comunidades menores poderão estar abertas aos domingos para oração pessoal.

Em todas as comunidades os fiéis poderão fazer o seu pedido de oração por escrito, a devolução do dízimo e ofertas nos lugares específicos. O fiel poderá fazer visita ao Santíssimo Sacramento intensificando suas orações e clamores a Deus para pedir a cura desta pandemia do novo coronavírus (COVID 19) e de tantas outras enfermidades. Lembramos que cada um evite alguns gestos carinhosos como beijar ou tocar o sacrário e imagens, pois poderá haver contaminação.

2 – ATIVIDADES FORMATIVAS E OUTRAS – DE SEXTA-FEIRA (20/3) ATÉ TERÇA-FEIRA (31/03)

– Suspensão de encontros de lideranças, conselhos e movimentos (Movimento de Cursilho de Cristandade, Mães que oram, Terço dos Homens, Terço das Mulheres, EJC, ECC, RCC, Focolares, entre outros); grupos de reflexão; ensaios de cantos; cursos; palestras; catequese de crianças, adolescentes e adultos; catequese batismal e preparação de noivos; formações paroquiais, forâneas ou diocesanas; e outras atividades do gênero até que se mande o contrário.

– Suspensão de novenas e festas de padroeiros, jantares, quermesses, ensaios de peças teatrais e demais atividades que aglomerem pessoas.

– Olhar e cuidar com atenção dos idosos e pessoas mais vulneráveis de nossas comunidades, amparando os mais pobres por auxílios materiais necessários, por meio de uma sólida rede de solidariedade em cada paróquia.

– Redobrar os cuidados com a limpeza nos ambientes comunitários seguindo as orientações da Vigilância Sanitária.

– Usar recursos tecnológicos para ajudar a manter a vida paroquial, contatos, animação missionária, assistência espiritual, manutenção da rede de contribuições e apoios, dizimistas e doadores, pelo uso de transmissões via Facebook, YouTube, Instagram e outros.

3 – ORIENTAÇÕES LITÚRGICAS E SACRAMENTAIS NESTE PERÍODO

– Suspensão das seguintes atividades celebrativas comunitárias: missas, batizados, mutirões de confissão, crismas, celebrações da Palavra, exéquias, bênçãos, procissões, vias-sacras, encontros de oração e recitação do terço em grupo.

– Sobre as “24 horas para o Senhor” as orientações foram encaminhadas na Carta do dia 18/03 enviada pelo Representante dos Presbíteros, ou seja, em grupos menores ou na família em sua casa de modo que não quebre a corrente de oração.

– Suspender todas as celebrações da Missa e da Palavra de Deus presenciais, até nova determinação, conforme orientação das autoridades sanitárias, com o único objetivo de não expor as pessoas ao perigo, protegê-las e salvar vidas. Os fiéis ficam dispensados das obrigações cristãs católica de participar das Missas dominicais e dos demais dias de preceito (cf. Cânon 1.247). Em suas casas ficam unidos em oração como “Igreja doméstica”, especialmente aos Domingos. Esta orientação se aplica também às Casas Religiosas, Seminários e Mosteiro (Missa sem povo).

– O Retiro anual do clero foi adiado e será realizado em tempo oportuno. Reconhecendo que a Eucaristia é o ápice da comunhão e força entre nós, seguindo os apelos do Papa Francisco, orientamos que os padres celebrem diariamente na intenção do Povo de Deus respeitando as normas da Vigilância Sanitária.

Recomenda-se o uso do rito da “Missa celebrada sem povo”, conforme o Missal Romano. Incentivamos a transmissão dessas missas nas mídias sociais disponíveis, divulgando bem entre os fiéis para que haja boa adesão.

– Atendimentos individuais de confissão poderão acontecer em horários flexíveis e em locais adequados e determinados pelos padres em suas paróquias, auxiliando a preparação do Povo de Deus para a Páscoa do Senhor.

Entretanto, para este momento de crise, diz o Papa Francisco: “Sei que muitos de vocês para a Páscoa, vão se confessar para nos reencontrar com Deus.

Mas tantos me dirão: ‘Padre onde posso encontrar um sacerdote, um confessor, porque não se pode sair de casa e eu quero fazer as pazes com o Senhor. Eu quero que ele me abrace, que meu Pai me abrace. Como posso fazer se não encontro um sacerdote?’

Faça o que diz o Catecismo, é muito claro: se você não encontra um sacerdote para confessar, fale com Deus! É o seu Pai! E diga-Lhe a verdade: ‘Senhor fiz isto, isto e isto… Desculpa-me!’ Peça-Lhe perdão. Com todo o coração, com o Ato de Contrição. E prometa-Lhe: ‘depois me confessarei. Mas me perdoe agora e imediatamente’. Você voltará para a graça de Deus”.

– Batismo, Unção dos Enfermos e administração do Viático: que sejam realizados apenas em caso de urgência.

-Matrimônios:

  1. a) os párocos devem conversar com os noivos sobre sua viabilidade e, caso decidam por sua realização, que sejam discutidos os critérios da celebração, respeitando as determinações das autoridades de saúde.
  2. b) Redimensionar a quantidade de pessoas convidadas para os casamentos que não puderem ser adiados, por meio de uma conversa pessoal dos párocos com os noivos, de modo que as pessoas se disponham espaçadamente dentro da igreja. Com outras palavras, determinar quantas pessoas poderão participar da celebração do matrimônio.
  3. c) Empenhar esforços com os noivos que já agendaram o seu casamento até o mês de julho, para adiarem e agendarem nova data a partir de agosto.

– Distribuição da Sagrada Comunhão Eucarística: ficam suspensas as visitas dos ministros extraordinários aos doentes e idosos até nova determinação, para garantir-lhes segurança. Esta determinação vale também para a celebração do sacramento da Unção dos Enfermos. É recomendada a Missa pelos Enfermos sem povo, transmitida pelas redes sociais.

– Em caso de falecimento de um paroquiano, o padre seja comunicado para que reze a “Missa sem povo” pelo falecido e consolo da família durante este período, ou seja, não serão rezadas as Exéquias ou Missas publicamente.

Os velórios não poderão acontecer nos espaços pertencentes à Comunidade (salão comunitário, salão paroquial, salas de catequese, igreja e outros). O padre, em momento oportuno durante o velório, faça uma visita à família sem aglomeração de pessoas para um momento de oração.

– Incentivar a Oração em Família com a meditação da Palavra de Deus, o Terço, a Via-sacra e materiais disponíveis no site da Diocese (www.diocesedesaomateus.org).

4 – QUANTO AO FUNCIONAMENTO DOS ORGANISMOS ECLESIAIS

– Nas secretarias paroquiais e na Cúria Diocesana, mantenha-se o expediente, seguindo as normas sanitárias emitidas pelos órgãos de saúde.

– O atendimento dos fiéis deve ser definido por cada pároco, de acordo com a sua realidade. A realidade de cada colaborador paroquial deve ser avaliada pelo pároco, especialmente os casos de risco.

– Manter todos os espaços sempre limpos, com portas e janelas abertas e álcool em gel à disposição de todos.

– Todas essas determinações devem ser observadas rigorosamente e em concordância com as orientações dos órgãos de saúde competentes do Estado, Município e União.

Rezemos por toda a humanidade, especialmente pelas vítimas dessa pandemia, autoridades, profissionais de saúde e todos os que continuam atuando para manter a ordem e o funcionamento dos serviços indispensáveis para a vida em sociedade. Tenhamos a certeza de que juntos superaremos essa crise coletiva.

Ao clero recomendamos o empenho, a comunhão, a colegialidade, a caridade pastoral para colocar estas orientações em prática intensificando a misericórdia e solidariedade para com o povo de Deus, de modo especial os mais sofridos.

Nosso desejo, acima de tudo, é preservar a vida humana, a fim de que a Páscoa que se aproxima possa ser celebrada com júbilo e alegria.

Que a vitória de Cristo sobre a cruz possa nos encorajar na luta contra esse e outros males que assombram a sociedade global. Lembremo-nos também de voltarmos as nossas orações para o nosso padroeiro diocesano, São Mateus Apóstolo, e Maria, mãe da Igreja, que não se cansa de rogar junto ao seu Filho amado pela nossa integridade física e espiritual.

Temos a certeza de que a situação é temporária e que, em breve, estaremos novamente juntos celebrando a fé e desfrutando da vida em comunidade.

Pedimos ainda que todos rezem diariamente a oração especial que o Papa Francisco dirigiu a Nossa Senhora do Divino Amor, padroeira de Roma, pedindo pela Itália e pelo mundo diante deste momento de provação.

Com responsabilidade e autêntico compromisso em defesa e promoção da vida, unamo-nos, assim, em oração, rezando:

Ó Maria, Tu sempre brilhas em nosso caminho como sinal de salvação e esperança. Nós nos entregamos a Ti, Saúde dos Enfermos, que na Cruz foste associada à dor de Jesus, mantendo firme a Tua fé. Tu, Salvação da humanidade, sabes do que precisamos e temos a certeza de que garantirás, como em Caná da Galileia, que a alegria e a celebração possam retornar após este momento de provação em nosso país e no mundo inteiro.

Ajuda-nos, Mãe do Divino Amor, a nos conformarmos com a vontade do Pai e a fazer o que Jesus nos disser. Ele que tomou sobre si nossos sofrimentos e tomou sobre si nossas dores para nos levar, através da Cruz, à alegria da Ressurreição.

Sob a Tua proteção, buscamos refúgio, Santa Mãe de Deus. Não desprezes as nossas súplicas, nós que estamos na provação, e livra-nos de todo perigo, Virgem gloriosa e abençoada. Amém.

As orientações contidas neste Decreto expressam o nosso cuidado de Pastor por todos os fiéis de nossa amada Diocese de São Mateus.

Eu Dom Paulo Bosi Dal´Bó juntamente com todo o clero estamos aqui em oração por vocês. Por favor, neste momento:

FIQUEM EM CASA!

“As mãos não podem se tocar, nem os braços abraçar, mas os joelhos ainda podem se dobrar”. Por isso, como bispo desta amada Diocese, com amor de pai, CONCLAMO a todos, ou quem puder, todos os dias ao meio dia (12:00), onde os ponteiros apontam para o céu e as 18:00 onde os mesmos ponteiros unem o céu e a terra, se possível, parar o que estivermos fazendo e rezarmos de 01 a 05 minutos pela vida e pelo fim desta pandemia. Precisamos urgentemente unir o céu e a terra para que esta crise passe logo. Deus abençoe a todos.

Em caso de mudança no cenário atual, em breve, apresentaremos novas orientações.

Em comunhão fraterna e preces,

+ Dom Paulo Bosi Dal’Bó

Bispo da Diocese de São Mateus

São Mateus-ES, 20 de março de 2020.