Deputados intensificam discussão sobre eleição da Mesa Diretora na Assembleia Legislativa

607
Deputados Enivaldo dos Anjos e Da Vitória podem disputar a Presidência da Assembleia
Deputados eleitos Enivaldo dos Anjos e Da Vitória tem nomes cogitados para disputar a Presidência da Assembleia Legislativa

O recesso na Assembleia Legislativa não paralisa o processo de articulação para a eleição da nova Mesa Diretora, no próximo dia 2 de fevereiro, muito pelo contrário, os deputados vão intensificar neste período as conversas para a escolha de um nome que seja consenso no plenário. E neste caso, o nome do atual presidente da Casa, Theodorico Ferraço (DEM), neste momento, não é o que mais agrega. Um nome que vem ganhando força é o do deputado Josias Da Vitória (PDT)

Um grupo de 12 parlamentares entre eleitos e reeleitos estaria discutindo o assunto do final das eleições para cá. Mas a conversa deve se intensificar, já que o cenário em que acontecerá a eleição será bem diferente deste do fim de legislatura, já que os deputados terão quatro anos pela frente.

Uma certeza é de que a jogada em favor de Ferraço não faz mais sentido para os deputados. Há um entendimento de que o presidente da Assembleia não trabalhou em favor do fortalecimento do conjunto dos parlamentares e sim de seu próprio capital político. Além disso, ele concentrou o poder, sem dividir com os demais deputados.

Até o momento, nenhum nome satisfez o grupo. Caso não apareça um postulante em condições de atender os interesses do dos deputados, Ferraço pode até se credenciar, não como opção, mas por falta dela. A notícia que vem surgindo nos meios políticos de que a aliança entre Ferraço e Hartung estaria estremecida favorece essa movimentação do atual presidente da Casa.

Não que os deputados estejam dispostos a criar uma Assembleia de oposição, mas querem a garantia de independência do Executivo. O nome do deputado Da Vitória, neste sentido, ganha força no plenário por causa de sua postura de lealdade ao ex-governador Renato Casagrande (PSB), na reta final da legislatura. Essa posição assumida na campanha o coloca como um deputado que não se curvaria ao Hartung.

Por outro lado, o partido de Da Vitória, o PDT, tem crédito com Paulo Hartung. Além disso, o poder dentro do partido passa também pelas mãos do deputado. Isso equilibra o jogo para o lado dele. Outro nome que também vêm sendo cogitado é o do deputado eleito Enivaldo dos Anjos (PSD), que tem experiência na Casa e condições de articulação com o Executivo.

O que os deputados querem evitar é que o governador imponha um nome para o cargo, o que colocaria o Legislativo de joelhos. Nesse sentido, o nome do ex-prefeito de Linhares, Guerino Zanon (PMDB) vem sendo refutado pelos deputados. O peemedebista, que já administrou a Casa no segundo mandato de Hartung, é aliado de primeira linha do governador e sua preferência para o cargo é evidente.

A escolha de Paulo Roberto (PMDB) para chefiar a Casa Civil é outro elemento que ajuda a esquentar o debate na Assembleia. Paulo Roberto ganhou pontos com Hartung ao assumir o papel de “líder do futuro governo” na Assembleia. Destaque para as manobras de Paulo Roberto no episódio da análise das contas de Renato Casagrande. O esforço de Paulo Roberto para a não aprovação das contas de Casagrande trouxe desgaste para a imagem dele no plenário e a tendência. O peemedebista fez uma defesa extremada de Paulo Hartung, o que acabou expondo os deputados que apoiavam o governador eleito. Esse processo pode dificultar a interlocução entre o novo chefe da Casa Civil e os deputados.

Por: Renata Oliveira, Século Diário