BR 342: Milhões levados pela erosão entre Ecoporanga e Ataléia na região Noroeste

1540

São 66km entre Ecoporanga e Ataléia (MG), passando pelas localidades de Santa Rita e Ribeirãozinho. No trecho de 47km entre Ecoporanga e a divisa entre Espírito Santo e Minas Gerais, todo o serviço de terraplanagem está perdido, já que as obras foram paralisadas em 2003 por suspeita de superfaturamento e nunca mais retomadas.

Esta é a situação da BR 342, que deveria ligar a BR 116, em Teófilo Otoni (MG), à BR 101, em Sooretama, mas que se tornou um sumidouro de dinheiro público, segundo palavras do deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), que enviou um ofício ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, solicitando a retomada de estudos visando à conclusão da rodovia.

“Esse extremo Noroeste é a última fronteira do Espírito Santo, sofrendo de um isolamento histórico que provocou o atraso no seu desenvolvimento. Romper esse isolamento com a conclusão da ligação de Teófilo Otoni pelo menos até Nova Venécia é essencial para o desenvolvimento regional. Estamos pedindo prioridade na pavimentação do trecho entre Ecoporanga e Ataléia (MG), porque dessa cidade a Teófilo Otoni o acesso é pavimentado por meio da MG 412 e da BR 418, que liga a BR 116 à BR 101 no sul da Bahia”, disse Enivaldo dos Anjos.

Como segunda prioridade, Enivaldo dos Anjos está pedindo a conclusão da ligação de Ecoporanga a Nova Venécia. Nesse trecho, há 23km por serem feitos, entre o patrimônio do Vermelho (Ecoporanga) até o entroncamento com a rodovia ES 234, de Vila Pavão a Nova Venécia. “Esse trecho entre Vila Pavão e Nova Venécia não pertence à BR, mas complementa a ligação pavimentada”, disse Enivaldo.

COMPLEXO PORTUÁRIO

O pedido de Enivaldo dos Anjos, além de atender a uma demanda de lideranças de Ecoporanga, especialmente o prefeito Elias Dal´Col (PSD) e o vereador Jefinho Dalcol (PSDB), visa também o futuro, pois promove a integração dos Vales do Mucuri e do Jequitinhonha ao corredor logístico projetado para o Noroeste e Norte do Estado nos próximos anos, através do Centro Portuário de São Mateus e da projetada Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo. “A conclusão dessa rodovia no trecho entre Ecoporanga e Ataléia vai facilitar o escoamento de mercadorias entre essa região Nordeste de Minas Gerais e a futura Unidade de Transbordo e Armazenagem de Carga (UTAC) prevista para ser construída em Barra de São Francisco, onde pretendemos ter um porto seco para importação e exportação de produtos pela EFMES e o porto da Petrocity”, disse Enivaldo.

O corredor logístico inclui, também, a BR 381, que liga São Mateus a São Paulo, cujo trecho no Espírito Santo está todo pavimentado, mas o deputado Enivaldo dos Anjos já fez ao governador Renato Casagrande (PSB) a indicação de sua duplicação entre o KM 0 até a divisa do Espírito Santo com Minas Gerais. São 130km de rodovia a serem duplicados.

A BR-342 é uma rodovia federal diagonal planejada para ligar Carinhanha, no Sudoeste da Bahia, a Linhares (ES), interligando as BRs longitudinais 116 e 101. Vários trechos ainda não estão pavimentados ou não implantados, possuindo poucos trechos asfaltados. Dentre os trechos não implantados, um dos maiores é o que liga Nova Venécia a Sooretama, numa extensão de 80km.

A partir daí, a 342 e a 101 correm juntas até Linhares. O trecho total soma 838,4km, dos quais, 61,2km estão na Bahia, 543,8km no Estado de Minas Gerais, que incluem um trecho pavimentado em Araçuaí, compartilhado com a BR 367, e 233,4km no Espírito Santo.

Em 2013, chegaram a ser incluídos R$ 210 milhões pela bancada federal capixaba no Plano Plurianual do Orçamento da União para pagar 80 quilômetros da rodovia no Espírito Santo, mas logo veio a crise que culminou com o impeachment da Presidente Dilma e tudo o mais que se sucedeu e nada foi feito. No final de 2017, um enorme buraco se abriu no trecho pavimentado próximo a Joassuba, em Ecoporanga, e a rodovia ficou vários meses interditada.