Barra de São Francisco é homenageada na Assembleia Legislativa. Vejam as fotos

1097

Os 76 anos de fundação de Barra de São Francisco foram comemorados durante sessão solene realizada pela Assembleia Legislativa.  Houve a entrega de comendas e outras homenagens a personalidades que fazem parte da história do município, localizado no Noroeste capixaba e com população de 45 mil habitantes.

Um dos moradores mais antigos de Barra de São Francisco, Pedro Castilho, de 89 anos, integrou a lista dos contemplados.  Ele contou que cresceu junto com o desenvolvimento do município:

“Nasci na roça, mas depois fui para a cidade. Arranjei emprego no comércio e logo montei meu próprio negócio. Fui um empresário bem-sucedido na indústria têxtil”, contou.

Castilho afirmou que é grato a Barra de São Francisco por tudo que o município lhe deu na vida, principalmente os amigos: “Fui ligado ao comércio e à política de Barra de São Francisco; depois de toda essa experiência que a vida me deu tenho a certeza de que o mais importante na vida não é status e nem poder, mas os amigos”.

O desembargador do Tribunal de Justiça (TJES), Carlos Simões, que nasceu em Barra de São Francisco, prestigiou o evento. Ele contou que seus pais foram desbravadores do município, numa época perigosa e cheia de desafios, pois os pioneiros conviveram com o Contestado, conflito entre Minas Gerais e o Espírito Santo provocado pela disputa de terras na Região Noroeste do estado.

“Eles (os pioneiros) foram capixabas guerreiros, que lutaram na defesa de nossa terra. Temos o orgulho de descender desse povo que ajudou muito a construir a história não apenas da região noroeste, mas de todo o Espírito Santo”, citou.

O proponente da solene, deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), que tem base eleitoral em Barra de São Francisco, explicou que a intenção do evento era homenagear personalidades que ajudaram no desenvolvimento da cidade: “Muitos tiveram e outros continuam tendo grande relevância na construção de Barra de São Francisco nos aspectos político, social, econômico, cultural e religioso”, disse
Economia

O deputado destacou que a economia do município, que até os anos 80 era baseada na agropecuária, especialmente na cafeicultura, diversificou-se com a introdução da indústria de exploração e beneficiamento de rochas ornamentais.

Enivaldo acrescentou que, segundo cálculos do setor, mais de 50 empresas estabelecidas em Barra de São Francisco estão exportando cerca de US$ 400 milhões por ano em rochas.

“Temos rochas para serem exploradas por mais uns 500 anos; a indústria do granito é o nosso petróleo”, afirmou, acrescentando que as rochas brutas, in natura, têm exportações estimadas em US$ 190 milhões por ano.

Conforme Enivaldo dos Anjos, o setor emprega 19 mil pessoas na Região Noroeste, sendo mais de 11 mil em Barra de São Francisco. Enivaldo lembrou que Barra de São Francisco está entre os 10 municípios mais importantes do estado, sendo o 12º em número de eleitores.

O presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), frisou a importância da homenagem: “Este é um reconhecimento de uma instituição que representa o povo capixaba. Que essa homenagem renove as energias de todos vocês para continuarem nesse trabalho de transformar Barra de São Francisco num município cada vez mais pujante”, destacou Erick.

A deputada Iriny Lopes (PT) também prestigiou o evento e disse que gosta muito de visitar Barra de São Francisco. “O município é muito hospitaleiro e recebe a todos com calor humano e alegria”, citou.

O prefeito de Barra de São Francisco, Alencar Marim, classificou de histórico o evento no Parlamento capixaba: “Agradecemos por esse reconhecimento e pela oportunidade de reunirmos várias gerações de pessoas nascidas em Barra de São Francisco e que muito contribuíram e ainda estão contribuindo para o nosso desenvolvimento”, declarou.

História do município

Barra de São Francisco foi criado pela Lei 15.177, de 31 de outubro de 1943, desmembrado de São Mateus, com a sua instalação efetivada em 1º de março de 1944.

A data oficial escolhida para seu aniversário, entretanto, foi 4 de outubro, Dia de São Francisco de Assis, padroeiro da cidade.

A região começou a ser povoada em 1927, quando um grupo de lavradores procedentes de Minas Gerais, Colatina e São Mateus, à procura de terras devolutas, estabeleceu-se na confluência dos rios São Francisco e Itaúnas.

Em 1928, a cafeicultura, então presente no sul do estado, expandiu-se e levou mais lavradores para a região.

Um edital publicado em 1937 declarando que a região do Rio Mantena pertencia a Minas Gerais deu início a um conflito que durou quase 30 anos. Minas invadiu a região e soldados foram enviados para lá, tratando com violência os moradores de São Sebastião, o que gerou um protesto do Espírito Santo junto ao então presidente Getúlio Vargas.

Os conflitos da Região do Contestado se acentuaram e somente foram resolvidos em 1963, quando os governos do Espírito Santo e de Minas Gerais celebraram o acordo que definiu as divisas na região.

O povoado de Gabriel Emílio, hoje Mantena, ficou no estado mineiro, apesar de estar localizado mais perto da sede do município capixaba.
Lista dos homenageados

Comenda Daniel Alves 

Davi Cândido Pereira

Comenda Maurício de Oliveira 

Flávio Wanderson de Oliveira

Israele de Souza e Silva

Comenda Hélio Valentim Sarlo 

Ery Silva Fortes

Eduardo Vieira de Moura

Hiran Sabino Coimbra

Comenda Juiz Alexandre Martins de Castro Filho 

Edson Machado

João Batista Fraga – (in memoriam)

Miltro José Dalcamin

Medalha Edmar Guimarães

Brasilino Malaquias de Morais

Vinicius Xavier Teixeira

Comenda Rubem Braga 

Maria da Penha Gomes Lopes – (in memoriam)

Val Bernardino

Medalha Wilmar Barroso

Elcyr Gonçalves de Carvalho

Comenda José Gilberto de Barros Faria 

Fabricio Coser da Silva

Mauly Martins da Silva

Walter Fernandes da Silva

Comenda José de Anchieta Fontana 

Dower Gomes Farias

Paulo Roberto Gomes Farias (Pogito)

Comenda Monsenhor Rômulo Neves Balestreiro 

Padre Luiz Carlos Meneghetti

Padre Paulo Sergio Vaillant

Comenda Paulo Vinhas 

Albuíno Cunha de Azeredo – (in  memoriam)

Certificados

Acedino José Moreira (in memoriam)

Almir José Dalmagro (in memoriam)

Amarino Rodrigues Alves – (in memoriam)

André Júnior de Freitas (pastor André)

Anízio Blunck de Moraes – (in memoriam)

Antônio Valli – (In Memorian)

Augusto Eugênio Sigesmundo – (in memoriam)

Degazito Ribeiro de Almeida – (in memoriam)

Dejanira Maria Pereira de Moraes – (in memoriam)

Deolindo Sarmenghi

Desembargadora Janete Vargas Simões

Dr Alceu Melgaço Filho (in memoriam)

Dr. Pedro Tallis Cruz Paes – (in memoriam)

Dr. Roney Lacerda

Edemilson Nunes Reis

Isabel Pires da Fonseca Zon

Jaime Neri da Silva – (in memoriam)

João Alberto (Neném Otto)

Josias Vicente Teixeira

Júlia Cenira Moura de Rezende – (in memoriam)

Levy Teixeira de Lima – (in memoriam)

Luiz Augusto Barbosa do Nascimento

Marlídia Alves da Silva

Narcizo Coimbra (in memoriam)

Pedro Castilho

Sampson Alves da Silva (Sansão) – (in  memoriam)

Samuel Cardoso

Sebaldo Saar –

Sebastiao Geraldo Oggioni

Wáldeles Cavalcante

Wantuil Ribeiro Fagundes – (in memoriam)