Após denúncia do MP, vereadores de São Gabriel da Palha são afastados

619
iago dos Santos (Progressista) e Wagner Lucas dos Santos (SD)

Um dia após a Câmara de São Gabriel da Palha aprovar o pedido de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar uma denúncia que envolve dois vereadores acusados de receberem propina de um empresário, a justiça acatou o pedido do Ministério Público do Espírito Santo (MPES) e decidiu pelo afastamento dos vereadores Wagner Lucas dos Santos (Solidariedade) e Tiago Santos (Progressistas), os vereadores são acusados de receberem de um empresário R$ 5 mil cada para intermediar com a Prefeitura uma festa de rodeio no ano passado, de acordo com a denúncia o empresário Henrique Barreto da empresa HB rodeios teria pago a propina aos vereadores, porém a festa não aconteceu. Ainda segundo a denúncia, os pagamentos foram feitos por intermédio  de um assessor que também foi afastado do cargo.

No pedido de afastamento, o Ministério Público Espírito Santo, por meio da Promotoria de Justiça de São Gabriel da Palha alega a necessidade do afastamento para que seja dado prosseguimento nas investigações, pois de acordo com o órgão, se os investigados forem mantidos no exercício da função pública usarão  do poder relativo para prejudicar as investigações.

Decisão Judicial

Segundo a decisão proferida pelo juiz Paulo Moisés de Souza Gagno, os vereadores Wagner Lucas dos Santos, Tiago dos Santos e o assessor Fábio Júnior das Neves ficarão afastados da função pública pelo prazo de 30 dias a contar da última sexta-feira (8), quando foram intimados. Com o afastamento dos vereadores, devem assumir os suplentes Leomar Eberman (SD) e Renato Alves (Progressistas); de acordo com o regimento interno da Câmara o vereador Braz Monfardini, atual vice-presidente assume a presidência da Câmara.

O que eles dizem

Os vereadores Wagner Lucas e Tiago Santos, ambos citados na matéria não atenderam as ligações, já o assessor Fábio Junior das Neves disse que já prestou depoimento ao Ministério Público e nega o seu envolvimento no caso.

Fonte: Portal Momento